O Método Doutrinário da Tenda Espírita Mirim segue, até os dias atuais, imutável. Ou seja, a Organização segue os mesmos princípios implantados originalmente pelo Caboclo Mirim.

O Corpo Mediúnico está dividido em sete graus de desenvolvimento. São eles:

7º Grau: Morubixaba: CCT (Comandante Chefe de Terreiro)
Corresponde a uma categoria de médiuns consagrados com a “Ordem de Comando”, formados para assumirem o Comando de qualquer filial de acordo com a necessidade. É o cargo de mais alta responsabilidade por se tratar da obrigação de zelar pelos médiuns de grau abaixo (do sexto grau, ao Iniciante), intervindo em todas as situações que sejam necessárias para o bom andamento dos trabalhos espirituais realizados. Devem ter o comportamento e postura ímpares dentro da Organização, conscientes de que são os exemplos a serem seguidos pelos graus inferiores. Os Morubixabas realizam o Juramento de Fidelidade e Honra à Organização.

6º: Grau: Abaré-Guaçú: SCCT (Sub-Comandante-Chefe de Terreiro)
Corresponde aos médiuns que alcançaram sua preparação, confirmação e submissão com seus Guias Espirituais e recebem a “Consagração de Grau”. Possui responsabilidade avançada sob os graus inferiores (do quinto grau ao Iniciante), intervindo em todas as situações que sejam necessárias para o bom andamento dos trabalhos espirituais realizados, sempre de acordo e amparado por um Morubixaba. Os médiuns Abaré-Guaçú realizam o Juramento de Honra à Organização.

5º Grau: Abaré: CT (Chefe de Terreiro)
Esta categoria de médiuns se refere aos aparelhos que alcançam a confiança e estima dos seus Guias Espirituais. Fundamentalmente, os Médiuns Abaré devem apresentar desembaraço, simplicidade e capacidade administrativa para desempenhar as funções que lhe competem. Possui responsabilidade sob os graus inferiores (do quarto grau ao Iniciante), intervindo em todas as situações que sejam necessárias para o bom andamento dos trabalhos espirituais realizados, sempre de acordo e amparado por um médium de grau superior. Quando solicitado, o médium masculino (positivo) de quinto grau, pode ser um guardião da tronqueira (entrada do terreiro), sabendo que nesta posição não pode conversar ou cumprimentar com médiuns ou assistentes, tampouco conceder bençãos a qualquer pessoa. Os médiuns Abaré realizam o Juramento de Submissão à Organização.

4º Grau: Abaré-Mirim: SCT (Sub-Chefe de Terreiro)
Os médiuns que correspondem ao 4º Grau são aqueles que tomaram conhecimento dos seus Guias Espirituais, já possuindo o nome dos mesmos para devida apresentação e confirmação do Comando Geral. Possui responsabilidade sob os graus inferiores (do 3º grau ao Iniciante), intervindo em todas as situações que sejam necessárias para o bom andamento dos trabalhos espirituais realizados, sempre de acordo e amparado por um médium de grau superior. Quando solicitado, poderá acompanhar e auxiliar no desenvolvimento dos médiuns de graus inferiores, sabendo fundamentalmente realizar essa função, prevenindo qualquer comprometimento ao médium em desenvolvimento. Os médiuns Sub-Chefe de Terreiro realizam o Juramento de Fidelidade, recebendo a “Primeira Consagração de Terreiro”.

3º Grau: Bojá-Guaçú: T (Terreiro)
São todos os médiuns que estão em constante aperfeiçoamento de Incorporação. Estão autorizados à conceder passes e desenvolver os médiuns de graus inferiores. É importante que os médiuns do 3º grau estejam sempre dispostos a cambonar quando solicitados. Devem ainda se desligar de tudo o que acontece fora do trabalho que está realizando, evitando comprometer o andamento das Sessões, apresentando sempre obediência, cumprido as exigências do seu grau e instruções concedidas pelos graus superiores.

2º Grau: Bojá: B (Banco)
Corresponde aos médiuns escolhidos para o trabalho no Banco, indispensável nas Sessões de Irradiação (Cura) e Passe, portanto devem apresentar assiduidade em todas as Sessões, principalmente nas Sessões citadas anteriormente. O trabalho no banco consiste no transporte de energias densas, descarregando seu próprio corpo material, mas também filtrando as energias dos médiuns e assistentes. É importante que os médiuns do 2º grau estejam sempre dispostos a cambonar quando solicitados. Devem ainda se desligar de tudo o que acontece fora do trabalho que está realizando, buscando o aperfeiçoamento com o seu desenvolvimento, apresentando sempre obediência, cumprido as instruções concedidas pelos graus superiores.

1º Grau: Bojá-Mirim: I (Iniciante)
São todos os convidados a desenvolver sua mediunidade dentro da Organização Mirim. Devem buscar conhecimento sobre a sua mediunidade e cumprir as instruções concedidas pelos graus superiores. Podem realizar o trabalho no banco quando autorizados pelo comando ou grau superior. É importante que os médiuns Iniciantes estejam sempre dispostos a cambonar quando solicitados. Devem ainda se desligar de tudo o que acontece fora do trabalho que está realizando, buscando o aperfeiçoamento com o seu desenvolvimento.

  • É importante ressaltar que para um aprofundamento e melhor compreendimento sobre as atribuições de cada grau mediúnico, o médium deve procurar o Comando de sua Filial, ou o Comando Geral da Organização.

Confira o Quadro Completo de Nomenclaturas >